ARTIGOS E ENSAIOS

Coalização (para Sobreviver) das Práticas e Resistências: Ensaio Crítico da Prática Artística Diante do Declínio das Instituições
eRevista Performatus, 2020
Em 2020 nos deparamos com a crise pandêmica Covid-19 de forma que não seria possível ignorar a seriedade desse acontecimento, momento que economicamente ainda não nos possibilitou perceber se estamos diante de um período de recessão similar ao que se passou com a crise de 2008-2009 ou de grande depressão como em 1929.
Tal crise que se estende aos campos laborais e de economia domiciliar em todo lado, acabou por revelar o descaso por parte do sistema democrático e capitalista no que diz respeito aos direitos dos cidadãos em condições precárias de vida e também a incapacidade desse mesmo sistema de gerir as dificuldades do acesso à saúde, educação e cultura.
Dessa forma, assistimos aos impasses criados por diversas instituições culturais, ao não valorizar diferentes setores dessas entidades, ao não esclarecer o vínculo contratual dos funcionários dos serviços educacionais durante a pandemia, ao declarar tardiamente pagamento parcial aos técnicos e assistentes, ou simplesmente ao permanecer em silêncio absoluto sobre outros assuntos laborais.
Sendo assim, organizei para esta edição da revista Performatus alguns trabalhos elaborados nos últimos anos com a intenção de aprofundar o tema da crise institucional para, depois, lançar uma proposta pública e coletiva de se pensar o futuro pós-crise pandêmica.

Descolonizando a Cartografia nas Artes Visuais através do Ativismo Ambiental
Colóquio A imaginação do futuro. Saberes, experiências e alternativas, 2018
Neste artigo propõe-se uma exploração da relação entre políticas coloniais, economia e evolução da paisagem através da cartografia como material da prática artística enquanto devir de desconstrução da atual conjuntura em que vivemos. Aqui também integram-se reflexões sobre obras gráficas que mostram danos ou reproduzem um sistema conciso, cartesiano e abissal ao descrever posições políticas de um processo histórico. Para tal, serão examinados o pensamento cartográfico através da obra “Übersicht” (1998) de Gerhard Richter em que faz um panorama da produção histórica de conhecimento na Europa, a obra “América Invertida” (1943) de Joaquin Torres García e um estudo cartográfico sobre a tragédia ambiental de Mariana, Brasil, em 2015, que inclui o defrontar de resistência para a produção de um espaço social diante do cenário de visão global, unificado e de reforma política das questões sócio-ecológicas que favorece a indústria extrativa.

Além do Arquivo
Colóquio Internacional de Arte Pública na Era da Criatividade Digital , 2017
Abordando a estrutura do espaço público que pretende encenar manifestações políticas e tendo em vista a percepção do objeto na teoria da produção do espaço criada por Henri Lefebvre, este artigo tende a destacar o uso do conceito de arquivo nas práticas artísticas como resultado de desconstrução de circunstânciasas atuais. Além disso, o artigo também pretende incluir reflexões sobre diferentes obras artísticas que mostram a parte danificada em um sistema conciso, cartesiano e abisal, descrevendo posições políticas de um processo histórico, tendo como foco principal a indústria extrativa.

The Mockingbirds
O Bomfim, 2019
Neste texto aborda-se o tema de aporofobia e gestos discriminatórios dentro do contexto de gentrificação e consumo na estrutura opresssora do sistema capitalista.

Urgente!
O Bomfim, 2018
Crónica para a revista O Bomfim sobre o processo de gentrificação na cidade do Porto através de um relato pessoal.

TESES

Cave Canem: Uma Cartografia da Produção de Espaço entre Representações de Poder e Opressão
PhD Art and Design FBAUP, 2018
Approaching the structure of the public space in which political manifestations take place and under the look of the notions of form and object of Henri Lefebvre’s production of space theory, this thesis intends to highlight the archive, the cartography and the derive in the production of the visual arts as a deconstruction of the current situation by which we are surrounded, from the production of knowledge to progressive and development policies.
These elements are analyzed in specific projects for this research that work within the experimental methodological path that propose an exploration of the relation between colonial policies, economy and landscape evolution.
However, the discourse released here integrates reflections on graphic works that show damage in a concise, Cartesian and abyssal system in describing political positions of a historical process that involve themes such as environmentalism and public space, perceived through perspectives of resistance resistance, insurgency movements and activism.